julho 09, 2011

Se quer mesmo saber de mim


O que eu sou não lhe diz respeito, em parte nenhuma lhe toca. Nasci para poucos e morro por quase ninguém. Contradigo-me em passos de dança invisíveis, enlaçando pernas e prendendo bocas, querendo muito e gostando tão pouco. Não é insatisfação ou sofrimento, é só um tudo ao mesmo tempo agora que não respeita amor de menos, não aceita um gostar pouquinho e querer às vezes. Uma intensidade que não se conforma com noites únicas de começo, meio e fim. Se estou aqui é pela música, pela companhia, pra me perder. Jamais pra desperdiçar uma noite com quem não sabe conversar.
Não me pergunte o que eu faço da vida, isso é banal, é triste, é comum. Queira saber o que me faz feliz, meu ponto fraco pras cócegas. Não pergunte o que me dá dinheiro, porque este é o menor dos meus sucessos. Esqueça meu nome verdadeiro, se eu venho sempre aqui, se estou gostando da música. Agir sem naturalidade é o seu maior fracasso.

Se é mesmo importante que eu responda as perguntas que tanto desprezo, se definir o que sou vai te fazer mais feliz, se quer mesmo saber de mim, comece pelas entrelinhas. Pelo não dito. Pelo movimento dos cílios e as pupilas dilatadas, os olhos nervosos que não se fixam, o modo de apoiar o peso do corpo em uma das pernas e me preocupar com o cabelo. Olhe para as mãos que não sabem repousar e a voz que desafina. Por favor, sou tão ridiculamente fácil de decifrar e ainda insistem em seguir pelo caminho errado. Exponho-me tanto e ainda querem uma cartilha.

E fazem isso porque amam de relance, querem no momento e só por desafio. Porque têm preguiça ou medo de cumplicidade e acreditam perder a noite se optarem por se apaixonar pelo próprio ego. Porque perdem oportunidades de se calarem quando é papel dos olhos falar.
É por isso que eu estou sozinha nesse mundo de luzes e pessoas. É por isso que eu saio de casa e minha roupa não precisa agradar ninguém além de mim. Porque não deixo o calor da minha rotina pra ser prenda em vitrine.

O que eu sou não lhe diz respeito, em parte nenhuma lhe toca. Mas se quiser mesmo saber de mim, experimente não me perguntar. E talvez assim desperte minha vontade de contar.

35 comentários:

  1. "Nasci para poucos e morro por quase ninguém."
    Maravilhoso!
    Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Que texto incrível! Gostei demais!

    ResponderExcluir
  3. Você é sensacional. Tão sensacional que surpreenderia qualquer bom rapaz que agisse de forma natural e que soubesse atentar aos tão sutis quanto descarados detalhes de um ajeitar de cabelos, ou mãos inquietas, ou pernas cruzadas que balançam de ansiedade, ou o mexer insistente no que quer que esteja ao seu alcance, ou o arrumar de postura na cadeira, enfim...
    Surpreenderia sim porque isso muitas, e por que não todas, as mulheres o fazem, embora sejam poucas que tenham algo de tão valioso para acrescentar.

    Se me permite, se você quer saber mesmo de você mesma, com a visão de quem te conhece tão pouco quanto quase nada, é bem claro que vai muito além do que a delicadeza dos movimentos compulsivos. Não se trata de saber em qual porta entrar, mas sim de entrar e ver que o quarto é muito maior do que um bom rapaz, mesmo que naturalmente, esperaria encontrar.

    ResponderExcluir
  4. Adorei o texto. Ótimo!!

    ResponderExcluir
  5. Laís Meron09 julho, 2011

    Descobri seus textos um dia desses e já estou amando tudo o que você escreve :D

    ResponderExcluir
  6. Admiro os seus textos há tanto tempo que nem me surpreendo mais quando vejo algo tão bem escrito assim. De qualquer forma e sempre, parabéns pelas palavras bem ditas.

    Beijos, Verônica.

    ResponderExcluir
  7. Eu amo a perfeição dos seus textos ♥
    parabéns por saber expor tanto sentimento em linhas tão perfeitas.

    ResponderExcluir
  8. Sou fã de seus textos.Sempre me encontro por entre as palavras,e sentimentos que expoe aqui.Gosto mto mesmo.Me perco neste cantinho *-*
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  9. *_* Adoro pessoas com opinião própria, porque atualmente se olharmos para os lados, podemos observar várias "modinhas" e seus seguidores..beijos bom fds...

    ResponderExcluir
  10. Depois de ler um texto desse até melhora o dia. Linda!

    ResponderExcluir
  11. Nunca encontro as palavras certas pra demonstrar a minha admiração. A cada postagem mais apaixonante..

    ResponderExcluir
  12. "O que eu sou não lhe diz respeito, em parte nenhuma lhe toca. Mas se quiser mesmo saber de mim, experimente não me perguntar. E talvez assim desperte minha vontade de contar. "

    è incrivel a maneira como voce expressa sentimentos e situaçoes de outros mesmo sem imaginar isso. Sou grande Admiradora dos seus textos, Parabens. Ass:Suzayne Anjos

    ResponderExcluir
  13. "Exponho-me tanto e ainda querem uma cartilha." Esse texto é maravilhoso!

    ResponderExcluir
  14. nosssa voce escreve muiiiiiiito beim flor adorei seu blog *-* parabens
    to seguindo aki segue lah se gostar ?
    http://dicionariodagarota.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  15. Quando acabei de ler, bati palmas e gritei: CARALHOOOOOOO!!! Vai direto pro meu blog! Bjs!

    ResponderExcluir
  16. "Mas se quiser mesmo saber de mim, experimente não me perguntar. E talvez assim desperte minha vontade de contar."

    Venho à um tempinho acompanhando o seu blog, e a primeira coisa que notei, dentre milhares, é a capacidade que tens de expressar em palavras coisas que muitas, em muitas vezes, sentem e querem dizer, mas não conseguem. Seus textos são lindos e verdadeiramente tocantes. Quero que saibas que és uma das minhas inspirações! :)

    ResponderExcluir
  17. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  18. Ahhh parece que tudo o que eu posso colocar aqui não vai chegar a tua altura, a altura dos teus textos, e a sensação quais essas belas palavras causam em mim.
    Realmente me faltam palavras, tudo seria clichê, e parece que o adjetivo para descrever a tua escrita ainda não foi inventado.

    Devo dizer que tenho uma pasta cheia de textos teus e que quando perco o rumo, ou estou confusa, eles me salvam!? É como se fossemos amigas, sei lá, parece que quando algo está sem rumo, ou confuso, eu leio teus textos e encontro uma luz, digamos que certas coisas ninguém consegue entender, mas ao ler teus textos, tu também me parece entender, é como se tu vivesse me dando conselhos, é isso, te ler é uma verdadeira terapia, mas aquela terapia que dá gosto de ir, sabe?
    Sem falar do fato de que tu conseguues transformar um assunto banal em uma coisa totalmente diferente e interessante.
    Ah Verônica, juro que eu poderia ficar aqui colocando milhões de coisas, e não seria o suficiente, e para mim é uma honra ler a tua escrita.

    Parabéns mais uma vez, apenas pra variar!

    ResponderExcluir
  19. Parabéns! Ameii os textos!

    ResponderExcluir
  20. Vê, eu verdadeiramente, me encantei, me encontrei, adorei!

    "Nasci para poucos e morro por quase ninguém. Contradigo-me em passos de dança invisíveis, enlaçando pernas e prendendo bocas, querendo muito e gostando tão pouco. Não é insatisfação ou sofrimento, é só um tudo ao mesmo tempo agora que não respeita amor de menos, não aceita um gostar pouquinho e querer às vezes. Uma intensidade que não se conforma com noites únicas de começo, meio e fim. Se estou aqui é pela música, pela companhia, pra me perder. Jamais pra desperdiçar uma noite com quem não sabe conversar"

    "É por isso que eu saio de casa e minha roupa não precisa agradar ninguém além de mim. Porque não deixo o calor da minha rotina pra ser prenda em vitrine"

    ResponderExcluir
  21. gosti d+ ;-)

    ResponderExcluir
  22. ''comece pelas entrelinhas. Pelo não dito.''

    É incrível a subjetividade que me envolve ao longo de todo texto, em cada entrelinha, em cada palavra, há um pouco de si, de aspectos encontrados, perdidos, deixados como pistas.

    Fico me perguntando, sigo teu blog a tanto, tanto tempo, mas tanto tempo, porque tuas atualizações nunca mais apareciam. E hoje eu mechendo em algumas pastas do meu celular de 2009, vi o teu blog salvo, e muitos textos que voltei a ler, pensei: pocha vou procurar o blog dela outra vez, será que parou de postar? E encontrei... Espero nunca mais perdê-la, está nos favoritos, mesmo que não apareça mais nas atualizações do blog sempre passarei por aqui!

    Abraços, de uma leitora que será fiel! rs

    ResponderExcluir
  23. Eu aaamo seus textos, esse tá DEMAIS ! Publiquei até um trecho no meu blog.. Eu faço faculdade de Jornalismo e aamo escrever, vc, a Tati Bernardi e o Caio são minhas inspirações ! Acho lindo esse domínio da palavra que vcs tem.. Parabéns viu !

    Beeijosss

    ResponderExcluir
  24. Sem palavras Vê. Eu tb estou descrita nestas linhas. beijo grande

    ResponderExcluir
  25. Palavras dizem tão pouco se comparadas a gestos, atitudes e principalmente letras - ah, é nas letras que encontramos nosso íntimo. Adorei!

    ResponderExcluir
  26. Bom, muito bom!
    Como sempre, me indentifico em cada palavra!
    #geminianas

    ResponderExcluir
  27. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  28. lindo... li um de seus textos e agora nao consigo mais parar de ler eles,cada toca em algum dos meus pontos fracos mas não deixam de ser fortes

    ResponderExcluir
  29. Não me canso de ler este texto!

    ResponderExcluir
  30. Fico encantada por me identificar com seus textos, do começo ao fim. Consegue tocar o fundinho da alma, sem ser piegas, rs. Mais uma vez, parabéns! Seus textos são INCRÍVEIS.

    ResponderExcluir
  31. Perfeito seus texto, Parabéns por esse dom tão maravilhoso

    ResponderExcluir
  32. Vc me descreveu perfeitamente nesse texto mesmo sem me conhecer, como consegue isso peloamor? É incrível seu poder de usar as palavras, de usá-las com uma força inimaginável.
    Gosto muuito dos seus textos, muito mesmo. Sou fã.
    bj =*

    ResponderExcluir
  33. Meu Deus, perdoe meu egoismo de querer essas palavras só pra mim.

    Não sei nem o que dizer a respeito desse texto, mas um fantástico e um parabéns podem tapar um pouco o buraco.

    ResponderExcluir