maio 14, 2012

Plano B


A vida em plano B acontece todos os segundos do dia, principalmente quando você não tem bem certeza se usa amarelo ou pretinho básico e deixa de sair porque não conseguiu se decidir sem gerar lágrimas nos olhos. "Estou feia", você pensa vendo alguma pele sobrar nos quadris. Acontece enquanto você está no trabalho com medo do seu chefe que nem se lembra do seu nome. Naquele momento em que você não devolve um olhar porque ainda está ferida pelo desastre do relacionamento anterior.

A vida em Plano B é quando por um lapso de consciência, você resolve sair de camiseta amarela e maquiagem borrada, percebe que seu chefe é só mais um ser humano frustrado que se dedica demais ao trabalho e que um olhar pode fazer esquecer a decepção da semana passada.

O Plano B é hoje. É agora.

Eu não sei se há vida nas próximas duas horas ou daqui 25 anos. Não sei se darei as mãos em frente ao mar sentindo que nada me falta, se minha preocupação será com o horário de pegar as crianças na escola, se comprarei cremes para as rugas e shampoo para cabelos grisalhos. Mas neste segundo eu posso afirmar com as minhas maiores convicções: o sangue passeia pelo meu corpo, o ar entra e sai dos meu pulmões, os segundos do relógio brigam com as pilhas fracas e passam correndo. Eu não posso ignorar. Eu não posso sentar e assinar papéis cheios de poeira enquanto o sol colore a pele de outras pessoas na praia. Não posso ver um avião decolar da janela de um escritório. Eu preciso estar no avião e ver tudo de cima. Hoje eu digo que estou viva e nada me impede de viver. Em todos os planos.

21 comentários:

  1. Booooooooooá!

    ResponderExcluir
  2. Jean Marie Scaravel14 maio, 2012

    Muito bom, parabéns! envolvente do inico ao fim, causando empatia no leitor...Uma imagem em preto e branco, que rapitamemte é colorida pela positividade da caneta a resvalar pelo papel.

    ResponderExcluir
  3. Lindo seu texto! :)

    Depois, se tiver tempo, passa lá no meu blog. Publiquei coisas novas!

    ResponderExcluir
  4. Simplesmente perfeito. Aquilo que eu precisava ler hoje :)

    ResponderExcluir
  5. É incrível como boa parte dos seus textos se encaixam no momento em que estou vivendo. Este é mais um.
    Fico sem saber o que dizer... Jean colocou muito bem "um retrato preto e branco, que rapidamente é colorido pela positividade da caneta a resvalar pelo papel" foi exatamente essa sensação que tive em ler. Simplesmente lindo, Verônica!

    ResponderExcluir
  6. Exatamente o que eu precisava ler hoje! Lindo, encantador.

    ResponderExcluir
  7. Um tempinho atrás eu vivi bem distante do mundo real. Mas hoje em dia, também quero viver a todo vapor, sem perder tempo, desfrutando só de coisas boas. ;)

    Beijos flor.

    ResponderExcluir
  8. Quase um antidepressivo rs'
    e olha que eu preciso de muitos :/

    Lindo texto, gostei...

    ResponderExcluir
  9. 'eu não posso ignorar" é isso! não podemos ignorar esses momentos que nos dão a certeza de que realmente estamos vivos! Lindo.
    paz e luz.
    http://tamararoots.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. "Que a cada manhã a sua coragem acorde bem juntinho de você, sorria pra você, e o convide para viverem uma história toda nova, apesar do cenário aparentemente costumeiro."

    Caio Fernando Abreu


    ...Que lindo este cantinho!!
    adorei aqui, e com certeza ficarei :)

    estou seguindo..
    retribui??

    beijos
    http://momentosdapathy.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Porque independente de qualquer coisa, temos pelo menos a certeza de que a vida não para. Que o que é agora é o que conta :)

    Primeira vez passando aqui.

    Abraços

    ResponderExcluir
  12. Concordo demais contigo, é colega..
    Eu também estou vivendo em um plano "B"

    www.estiloatrevidos.com

    ResponderExcluir
  13. O texto é maravilhoso, você escreve muitissimo bem.

    ResponderExcluir
  14. Nossa esse pego no ponto exato!!

    Parabenss!!

    http://www.luismacedo.com/textos/textos.php

    ResponderExcluir
  15. (...) “percebe que seu chefe é só mais um ser humano frustrado que se dedica demais ao trabalho” (...).
    Nesse trechinho foi onde soltei uma daquelas risadas de lembrança. Uma frase no texto que mostra nitidamente como é possível mudar a forma como encaramos a nós mesmo simplesmente mudando a forma como encaramos nosso exterior (exterior esse que nos afeta diretamente, nem adianta fazer de forte).
    Viver em todos os planos, quadrantes, de abscissa a cota... estarei.

    ResponderExcluir
  16. Lindo demais. Falou alto aqui. Saudade daqui.

    ResponderExcluir