julho 09, 2010

Sol


Neste exato segundo em que o planeta terra passeia pelo sistema solar, há uma infinidade de vidas que se iniciam e outra infinidade que chega ao fim. É natural. Talvez chegue um dia em que morrer será a exceção e o mundo atingirá sua lotação. Para isso existe a ciência, a medicina: evitar que a vida chegue ao fim. Viver alcança seu valor máximo. Tanta gente aprendendo a sorrir com conquistas, mas a maioria ensaiando o futuro. Não é o que eu quero. Quero mesmo é o presente. Cansei de me preparar para um dia que pode não chegar. Existe vida no agora? Se houver, eu vou encontrar.

Eu tenho essa urgência de viver, essa pressa de qualquer coisa que ultrapasse a inércia. É isso que me faz jogar dados ao acaso e me atirar de carros em movimento, é por isso que ando longe de viadutos. Meu suicídio diário não é uma forma de morrer. É uma tentativa desesperada de encontrar essa vida, testar minha capacidade de quase ir e voltar, descobrir se eu mereço estar aqui e se existe mesmo um deus. Afinal, ele concorda ou não com a minha maneira de encarar as coisas? Por que não me castiga por ser tão estupidamente desapegada? É minha necessidade de viver que me mata.

Tenho a impressão de ter atingido o auge da minha maturidade, mas não tenho espaço físico ou moral pra existir nessa condição. Estou pronta pra largar tudo pra trás todos os dias, mas algo finca meus pés no chão sem eviso prévio. É preciso ser coerente pra ser aceito, mas como não me contradizer tentando achar um equilíbrio? Como não ser um pouco louca nesse mundo tão absurdo?

Não adianta me oferecer o discurso de faculdade-emprego-família como verdade absoluta. A gente não aprende a viver sentado numa carteira de colégio. Não é a fórmula de Pitágoras ou a definição de pronome oblíquo que vai fazer com que eu seja mais ou menos inteligente. Saber organizar informações burocráticas em série e ser programado roboticamente não faz de ninguém um ser humano repleto. Isso tudo só rende uma possível colocação relevante numa prova de vestibular, um êxtase momentâneo. A vida se aprende nas perdas. É perdendo a liberdade que a gente descobre que não se encaixa, é perdendo alguém que a gente descobre que não vale a pena lutar por futilidades, é perdendo o apoio que a gente descobre que o resto do mundo não para só porque nosso mundo parou. A gente vai aprendendo a viver assim, na marra, no grito, no sufoco, no impulso. Eu quis mudar o mundo, quis ser brilhante, quis ser reconhecida. Hoje eu quero bem pouco e prefiro me concentrar no agora do que planejar um futuro incerto. Eu me libertei da culpa e dei de cara com algo novo: não me encaixo, e aceito. Não é justo perder as asas no momento em que se descobre tê-las. É preciso poder voar, é preciso ter uma visão estratégica das janelas. Ver o sol e não poder tê-lo é absurdo.

Então eu deixo algumas coisas passarem incompletas porque tenho consciência de que certas palavras ainda não têm tradução. Por mais que eu grite, vai ter quem não entenda, não aceite. O que eu não aceito é ter nascido num mundo tão grande e conhecer só uma pequena parte. Vou voar. Quem conseguir compreender, que me acompanhe.

43 comentários:

  1. Está aí escrito um pouco das breves conclusões a que eu venho chegado nos últimos dias - graças aos céus, porque me sinto muito mais humana ao pensar da maneira que você descreve.
    Achei o texto espetacular, achei suas palavras cheias de verdades que, para mim, são incontestáveis - enfim, achei muito de mim no pouco de você que foi exposto, mas que me encantou e encantou. Sempre um prazer te ler, Verônica :)

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. "A vida se aprende nas perdas. É perdendo a liberdade que a gente descobre que não se encaixa, é perdendo alguém que a gente descobre que não vale a pena lutar por futilidades, é perdendo o apoio que a gente descobre que o resto do mundo não para só porque nosso mundo parou."

    Concordo plenamente, e mais um texto incrivelmente perfeito pra variar. É bom saber que existem escritoras como você!

    ResponderExcluir
  3. Achei a coisa mais linda e é muito meu, parece que você leu minha mente, sério.

    "Eu quis mudar o mundo, quis ser brilhante, quis ser reconhecida. Hoje eu quero bem pouco e prefiro me concentrar no agora do que planejar um futuro incerto"

    Lindo demais =D

    www.docesebalelas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. "O que eu não aceito é ter nascido num mundo tão grande e conhecer só uma pequena parte. Vou voar. Quem conseguir compreender, que me acompanhe."

    Captou todo meu momento *-*

    http://conflitopsiquico.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Meuw...comecei a ler não parei
    Lindooo
    essa busca fréntica pelo "ser aceito"
    mas ao mesmo tempo que lia,me parecia
    uma despedida!!!!
    Verônica..continue viva,precisamos de suas palavras!!!
    rsrs..


    Super Bjussssss

    ResponderExcluir
  6. A vida é eternizada a cada instante.
    Não é preciso viver para todo sempre.
    O vento vai sempre insistir em soprar,
    mas em vão tentará levar lembranças.
    Desde nossa chegada sob este céu,
    tudo nos está disposto feito uma vitrine:
    presente, passado, futuro.
    Não é preciso escolher, é apenas viver.
    Se não souber todas as respostas
    espere novas perguntas que irão lhe responder.
    O mundo não tem lado certo
    ele gira por campos livres e floridos.
    Viva este imenso jardim antes que
    a primavera nos leve a fidelidade de pulsar.
    Você pode voar sem asas, confie na sua
    liberdade, assim como o sol é livre para
    brilhar. Confie, Quando confiamos em nosso caminhar a direção não assustará os olhos antes precários.

    ResponderExcluir
  7. Adoro seus textos!!!é tão perfeito...
    Bjos

    http://entredevaneiosedesabafos.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. "Eu tenho essa urgência de viver, essa pressa de qualquer coisa que ultrapasse a inércia."

    Somos duas! :) Ótimo texto, como sempre. Adoro as coisas que tu escreves, Verônica.

    E partiu voar!
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Excelente texto, uma grande lição de vida.

    "Eu quis mudar o mundo, quis ser brilhante, quis ser reconhecida. Hoje eu quero bem pouco e prefiro me concentrar no agora do que planejar um futuro incerto. Eu me libertei da culpa e dei de cara com algo novo: não me encaixo, e aceito. Não é justo perder as asas no momento em que se descobre tê-las. É preciso poder voar, é preciso ter uma visão estratégica das janelas. Ver o sol e não poder tê-lo é absurdo."

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  10. é impossível não viciar em você, rs!

    belo texto, você leu minha mente nesse trecho:

    " A vida se aprende nas perdas. É perdendo a liberdade que a gente descobre que não se encaixa, é perdendo alguém que a gente descobre que não vale a pena lutar por futilidades, é perdendo o apoio que a gente descobre que o resto do mundo não para só porque nosso mundo parou. A gente vai aprendendo a viver assim, na marra, no grito, no sufoco, no impulso. Eu quis mudar o mundo, quis ser brilhante, quis ser reconhecida. Hoje eu quero bem pouco e prefiro me concentrar no agora do que planejar um futuro incerto."

    Lindaa! :*

    ResponderExcluir
  11. ótimo como sempre V.H.

    ResponderExcluir
  12. Oi Verônica, eu achei você no Pensador. E simplesmente, amei seus textos, muito perfeitos, essa sensação que pelo visto, não foi só eu que senti de você escrever exatamente o que sinto, o que eu penso, ou até o que eu deixo de sentir, enfim.. você é uma escritora fantástica. Acredite, temos muitos pensamentos em comum. Curiosidade ou não? Mas temos o mesmo signo :D "Eu queria que você soubesse tudo sobre meu signo e sobre me fazer feliz." Você acabou de ganhar uma fã, e também um espaço nos meus favoritos, vou sempre te acessar. Beijos e se cuida.

    ResponderExcluir
  13. Verônica Heiss sempre diz todo o abstrato que eu tenho para dizer, mas não digo porque não sei como expressar tudo em palavras. Incrível e consolante! :)

    ResponderExcluir
  14. A vida se aprende nas perdas. É perdendo a liberdade que a gente descobre que não se encaixa, é perdendo alguém que a gente descobre que não vale a pena lutar por futilidades, é perdendo o apoio que a gente descobre que o resto do mundo não para só porque nosso mundo parou. A gente vai aprendendo a viver assim, na marra, no grito, no sufoco, no impulso. Eu quis mudar o mundo, quis ser brilhante, quis ser reconhecida. Hoje eu quero bem pouco e prefiro me concentrar no agora do que planejar um futuro incerto. Eu me libertei da culpa e dei de cara com algo novo: não me encaixo, e aceito. Não é justo perder as asas no momento em que se descobre tê-las. É preciso poder voar, é preciso ter uma visão estratégica das janelas. Ver o sol e não poder tê-lo é absurdo.

    a teu texto perfeito sempre,grande escritora.

    ResponderExcluir
  15. Perfeito seu texto vejo q seus ultimos 3 textos demostra claramente uma perda!
    Isso e mt triste e eu me vie todos esses textos pois vivi uma perda imensa! Mais vc soube demosntrar com palabrs belas e confotantes!
    Adoro seus texto de verdade!
    Abraços !
    karol_chaibub@hotmail.com

    ResponderExcluir
  16. Penso como você

    Me jogo ao Abismo para alcançar os Céus

    ResponderExcluir
  17. 'é perdendo o apoio que a gente descobre que o resto do mundo não para só porque nosso mundo parou'
    Pior é que é verdade. E isso e todo o resto que você falou dói muito, mas sem tudo isso talvez a gente não aprendesse tanto...
    beeeijo :*

    ResponderExcluir
  18. preciso dizer que ficou incrível ? Me sinto feliz que você está indo bater asas, voar, ser feliz...
    que seja doce, vê.

    ResponderExcluir
  19. É morrendo aos poucos, dia a dia, que se descobre a vida. Quando puder dá uma olhada lá nomeu também ! E pra não faltar o costume seu texto tá lindo ! ;*

    ResponderExcluir
  20. Leio seus textos há algum tempo e nunca tive coragem de deixar um comentário, talvez seja porque nunca consegui descrever com palavras o que você me faz sentir. Mas hoje tomei coragem e quero te agradecer por compartilhar o que sente, agradecer por você ser assim.! Meu muito obrigada, beijo!

    ResponderExcluir
  21. Que texto lindo *____*
    Sabe, eu também me sinto como uma formiga em meio a um mundo enooooorme, e eu quero conhecer também esse mundo.Então,estou contigo :)
    Belo texto!
    -

    Beeijinhos!

    ResponderExcluir
  22. Eu te acompanho, SEM SOMBRAS DE DÚVIDAS! *-*


    perfeito, surpreendente :)

    ResponderExcluir
  23. Eu invejo teu desejo de liberdade. Me amedronto ao ver em tuas palavras tanta distância dessa minha prisão.

    Obrigada pelo carinho que tem com teus leitores!É admirável!

    ResponderExcluir
  24. Tem total razão: é perdendo que se descobre o valor das coisas! Pena que a perda é tão dolorosa...

    ResponderExcluir
  25. 'O maior problema dos homens é pensar no amanhã e esquecer o hoje'. Paulo Coelho
    Lembrei desse trecho logo no início do teu texto! =)

    "O que eu não aceito é ter nascido num mundo tão grande e conhecer só uma pequena parte. Vou voar. Quem conseguir compreender, que me acompanhe."

    Frustrante a primeira frase não?!
    Adorei o texto!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  26. ótimo texto!

    ''Hoje eu quero bem pouco e prefiro me concentrar no agora do que planejar um futuro incerto.''
    perfeito!


    veja se não some tanto hehe
    apesar de que eu nem posso cobrar, pq ando sumida tb!

    beijos!

    ResponderExcluir
  27. Adoro todos os teus textos, esboçam um novo jeito de ver a vida, com outros olhos. Adoro a tua perspectiva do mundo nesse texto, e adoro ainda mais aqui

    ResponderExcluir
  28. Me lembrou Clarice!
    minha força está na solidão

    ResponderExcluir
  29. Que encanto tudo isso.


    tanta intensidade nessas palavras.
    gostei daqui =)

    ResponderExcluir
  30. vou acompanhar você. :)

    ResponderExcluir
  31. David Farias29 julho, 2010

    Me deparei com Verônica Heiss: estou estupefato! (esta é a frase de abertura de meu orkut). Verônica, sou ator e diretor teatral, sou formado em artes Cênicas pela Federal de Alagoas, instituição a qual (há 3 meses) voltei como professor. enfim... queria ter contato com vc, pois seus textos DEVEM! Subir aos palcos, aguardo, anciosamente contato: davidfariass@hotmail.com

    ResponderExcluir
  32. Maravilhosos como sempre seus textos, de uma sensibilidade incrível, cada frase sua toca nossas almas. Obrigada por escrever coisas que nos tocam com tanta profundidade

    ResponderExcluir
  33. Você escreveu o que muitos tem preso em seus pensamentos, o que muitos tem medo de fazer mas sonham com isto todos os dias. Parabéns e realize seus desejos!

    ResponderExcluir
  34. Acho inacreditável a forma como seus textos se encaixam no meu dia-a-dia, comigo.
    E mais incrível ainda é o modo como eles me sensibilizam mesmo quando não tem nada a ver comigo.
    Vê se não some, seus textos fazem falta (:

    ResponderExcluir
  35. Quero parabenizá-la por esse belo texto!É daqueles que a gente sempre guarda um trechinho.

    grande beijo!

    ResponderExcluir
  36. Você é maravilhosa! Fico chocada em como expressa bem o que sente... continua assim?
    Estou te seguindo, passe no meu blog.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  37. seus textos falam sobre mim, em extremos detalhes!


    deixa eu ser feliz do meu jeito!: Que assim seja! http://goo.gl/b/X9ZT
    Veja que lindo esse novo blog!

    ResponderExcluir
  38. Muito legal o seu blog! achei interessante, post legal!
    Se puder passe pelo meu blog também!
    http://vainafequeda.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  39. Meu Deus!
    Mulher, pessoa, Ser humano... você escreve demais!!!
    Parabéns.

    ResponderExcluir
  40. Helenise Mg19 agosto, 2010

    Muito bonito o texto, é disso que o mundo e nos que somos parte dele,pequenas particulas pulsantes do universo,precisa.

    ResponderExcluir
  41. pessoal vejam esse blog aqui! http://claudiabraz.blogspot.com/

    são textos perfeitos, todos de autoria dela!
    ela escreve pelo simples prazer de expressar suas emoçoes e sentimentos...
    mas eu não acho justo pessoas apaixondas por palavras como nós não termos acesso á essa escrita tão verdadeira e sutil.
    Não a conheço pessoalmente, mas o blog dela por deveras vezes é meu refúgio então é isso pessoas, desculpe se fui inconveniente!

    ps: Veronica sou extremamente viciada pelo seu blog, odeio quando vc fica muito tempo sem postar! isahisauh é uma escrita com muita sutileza, expressa os sentimentos com as palavras certas ... enfim, sem mais

    ResponderExcluir
  42. Não tenho nada pra falar aqui a não ser: Perfeito. Você traduziu um monte de coisas que estavam guardadas dentro de mim. Parabéns pela sensibilidade. Maior, bem maior q a suposta inteligência que nos ensinam na escola é a inteligência pra vida, e essa você tem. Té+

    ResponderExcluir
  43. Verdade absoluta...quem quiser entender, que nos acompanhe!!

    ResponderExcluir