setembro 07, 2009

Olha, Menino...


Sou de gêmeos. Um signo de ar, mutável. Eu me distraio com tudo e você não imagina a facilidade que eu tenho de viajar sem sair do lugar. Mas nem tudo que nasceu comigo, ficou. Algumas situações amarraram meus pés no chão, fazendo com que eu me agarrasse firmemente à realidade. Paixões platônicas, Lindo, são para crianças. Foi isso que eu repeti silenciosamente, até me convencer. E deu certo. Quando começo a me iludir por alguém, racionalizo tudo: Por que eu me interesso tanto por ele? Por que ele se interessaria por mim? Por que a gente daria certo? E funciona! Esqueço com impressionante rapidez do meu interesse. Ah, as coisas ficam tão mais fáceis desse jeito! Você não sabe, Menino, mas eu machuco as pessoas. Eu faço com que elas se apaixonem por mim como um desafio, como uma criança testando seus limites. Então enjoo do meu jogo e não dou explicações. Destruo corações que se abrem pra mim com tanto esforço, na esperança de terem encontrado alguém legal. Ainda dá pra você fingir que não me viu. Se der tempo, se você tiver o raro dom de controlar seu coração, se o sentimento não estiver suficientemente forte à ponto de você se prender, fuja. Se você nem ao menos me diferencia das outras pessoas que te cercam, como eu imagino, permaneça assim. Não se aproxime, não se apaixone. Não me escolha como a eleita dos seus dias. Escolha uma dessas meninas com perfis de orkut todos iguais, que gostam de msn, que querem ser pedidas em namoro. Essas meninas que choram e sofrem, depois esquecem e ficam submissas. Dessas que conseguem se apaixonar, se apegar, amar. Eu não sou assim. Eu sou fria e jogo com as pessoas - não por maldade, mas porque inconscientemente me envolvo com brincadeiras, que na verdade são vidas de gente que ama e sofre de verdade. É, procure a saída mais próxima e parta de vez para uma relação humana, comum, sólida, eterna na sua duração e cheia de palavras e promessas de carinho. Eu tenho aflição de toque e sou incapaz de jurar amor sem pensar e ter certezas.

Eu tentei racionalizar você. Fiz minha cartilha e decorei minha fala: não tenho motivos para me apaixonar. Mas por que é que eu conseguia falar com todo mundo, menos com você? O que me impedia de ser a excêntrica de sempre? Eu mal conseguia te falar 'oi'! Não é ridículo? Nas minhas férias, deu certo, não lembrava mais o motivo de eu ter me encantado, nem estava com saudades de ficar estática perto de você. Deduzi que você me achava a pessoa mais estranha do mundo, não cumprimentando, sentando ao seu lado no ônibus e só lembrando de respirar na hora de descer no ponto... É, a garota que não fala e não respira! Eu acharia louca, esquizofrênica. Não tiro sua razão, se você achar tudo isso de mim. Pode fugir agora, porque eu tenho um potencial enorme pra te trazer dor.

As férias acabaram, e eu vi você. Ah, como eu queria não ter visto! Como eu queria não ter lembrado da sensação de esquecer do oxigênio! Deletei a frase, mesmo achando impossível deletar alguma coisa da mente como num computador. E alguns dias depois, quando eu criei coragem de me aproximar e conversei com um amigo nosso em comum perto de você, consegui não ser idiota. Você não tem ideia do que é isso, não é? Se soubesse o que eu passo por sempre falar alguma coisa inapropriada quando eu menos quero, acharia linda minha façanha. Eu consegui ser simples, consegui não reclamar de nada, não falei palavrões, nem expus minhas inseguranças. Um desafio vencido. E então você começou a me falar 'oi'. Sabe o que é mais estranho? Eu sentia que você, por algum motivo, desviava o olhar quando eu cumprimentava algum amigo seu por perto. Não fazia contato visual de jeito nenhum, e eu ficava sem graça de te cumprimentar. E agora é você sorri e procura meu olhar, que às vezes desvio sem querer. Talvez você se sentisse assim: com medo de ser engolido, ou de admitir alguma coisa presa. Eu fujo dos seus olhos, mas depois me lembro de como me sentia na situação inversa. 'Oi', 'tchau' ou um sorriso, significando qualquer uma das duas opções anteriores, nossos diálogos não se expandem, mas nossos sorrisos, sim.

E no dia que a gente conversou pela primeira vez, por mais bobo e cotidiano que fosse o assunto, consegui ser natural. Perdi a ordem das pernas ao ir embora, mas você nem ficou sabendo desse detalhe. Foi um diálogo tão importante pra mim e você jamais saberá. Eu guardo pra mim toda a profundidade que eu queria dividir com você. Eu tenho medo de te assustar. Me controlo tanto quando você está perto... Com seus amigos falo besteira, falo demais, brinco. Mas não quero que você me ache vulgar, insana. Olha, Menino, o que eu procuro, é uma coisa estranha que muitas meninas passam pela vida sem conhecer ou sentir falta: compatibilidade. Eu procuro eu mesma nos outros, ou algo parecido. Você tem o que eu procuro e eu sei disso sem nunca termos conversado de verdade. Você gostaria de mim, se me desse espaço para mostrar. Eu sei disso.

Mas hoje, Lindo, é a última vez que eu vou passar horas sofrendo por você. Acabei de decidir, olha só que coisa boa. Porque é verdade, me apaixonei pela primeira vez e não fui correspondida pela primeira vez, mas as pessoas vivem sobrevivendo a esse tipo de coisa. Eu mesma já me levantei dos buracos mais escuros e voltei a caminhar. Se eu estiver enganada e você simplesmente for tímido demais pra sempre aproximar, esse risco fica por sua conta, porque não esperarei mais um sorriso seu pra ir embora. Assim como também não ficarei mais chateada por você não ter se despedido na sexta-feira e eu ter que esperar até segunda pra descobrir se você estava me evitando ou só com pressa. Não odiarei mais as meninas que te cercam e conseguem conversar com você enquanto eu só falo com os outros, tentando chegar perto. Dá pra viver em função de alguém que nem ao menos demonstra preocupação comigo? Não, não dá.

Hoje decidi te esquecer, mas amanhã vou te ver. Ah, esquece esse texto todo. Deixa só eu olhar pra você, sem respirar, sem falar, sem me mover. Acho que esse é o relacionamento mais humano que eu já tive: Só eu sinto, só eu sofro, só eu acho que existe.

39 comentários:

  1. incrivelmente lindo *-*
    é muito bom ver sua atualização
    e chegar aqui e descobrir que mesmo sem saber,
    foi feito pra mim, rs :)

    parabéns, parabéns, parabéns :B

    ResponderExcluir
  2. Com sentimentos não dá pra racionalizar. Simplesmente, não dá. :}

    ResponderExcluir
  3. Me identifiquei em algumas partes Oo
    "Só eu sinto, só eu sofro, só eu acho que existe. " adorei



    ja sou sua fã hihi

    ResponderExcluir
  4. "Eu tenho aflição de toque e sou incapaz de jurar amor sem pensar e ter certezas."

    Ótimo!

    ResponderExcluir
  5. Rapaz, você sou eu. Não tem pra onde correr, o 1º parágrafo do texto então... eu sinto pena da gente, por sermos assim,

    e como aquele outro texto seu 'quero mais que arrumar coragem pra terminar. Quero coragem pra começar.'

    eu me empolgo tanto no começo, no fim já quero distância... eu fujo. :\

    beeijos

    ResponderExcluir
  6. sério, parabéns :)
    ' Pode fugir agora, porque eu tenho um potencial enorme pra te trazer dor '

    situações que todas nós passamos, de um jeito, ou de outro..

    ResponderExcluir
  7. "Acho que esse é o relacionamento mais humano que eu já tive: Só eu sinto, só eu sofro, só eu acho que existe."
    Ameei essa parte :)
    Texto maravilhoso [/como todos neh?!]

    Beeijão"

    ResponderExcluir
  8. Acho que nunca me identifiquei tanto com um texto. Será que é o signo em comum? Haha, vai saber! Maravilhoso, como sempre! Beeeijos Vê :)

    ResponderExcluir
  9. Sou totalmente o oposto de você em relacionamentos, e mesmo assim consigo me identificar. Você escreve coisas maravilhosas. Da vontade ler sem parar :) Beejo!

    ResponderExcluir
  10. Você praticamente me descreveu e descreveu o que estou passando agora. ._. Sou uma geminiana que não quer que os outros se apaixonem por mim e nem quer se apaixonar. ._. Só queria que a minha história terminasse como a sua: conseguir não me importar mais com o 'Menino'. Adorei teu blog. :*

    ResponderExcluir
  11. "Eu procuro eu mesma nos outros, ou algo parecido. Você tem o que eu procuro e eu sei disso sem nunca termos conversado de verdade. Você gostaria de mim, se me desse espaço para mostrar. Eu sei disso.

    Mas hoje, Lindo, é a última vez que eu vou passar horas sofrendo por você. Acabei de decidir, olha só que coisa boa. Porque é verdade, me apaixonei pela primeira vez e não fui correspondida pela primeira vez, mas as pessoas vivem sobrevivendo a esse tipo de coisa."

    Quanta semelhança...! Então, sobrevivemos a esse tipo de coisa, afinal.

    ResponderExcluir
  12. Às vezes acho que nós, geminianas, não nascemos para o amor. Pelo menos não esse amor comum, que vemos por aí. Ô signo complicado!

    Lindo texto! Adorei :)

    ResponderExcluir
  13. ain cara...sem comentarios de boa! vc é perfeita, impecavel, incomparavel, SEMPRE. Entao so me resta dizr q tava com saudade dos seus textos.. É mto bom saber q existem pessoas como vc.

    ResponderExcluir
  14. Veronica, ameeei seu texto, me identifiquei demais, só que eu to feliz, principalmente porque depois que eu criei a comu, seus textos são sempre muito comentados, e eu me sinto importante, desculpe a falta de humildade, por você estar ganhando tantas fãs, queria compartilhar esses textos maravilhosos com as pessoas e vejo que consegui..
    Da sua sempre fã, Drika *-*

    ResponderExcluir
  15. Quando li esse texto pela primeira vez não havia prestado atenção nessa frase de início:

    "Eu me distraio com tudo e você não imagina a facilidade que eu tenho de viajar sem sair do lugar. Mas nem tudo que nasceu comigo, ficou. Algumas situações amarraram meus pés no chão, fazendo com que eu me agarrasse firmemente à realidade".

    Não querendo ser repetitiva, mas já sendo, digo-lhe que esse trecho me descreve muito..

    Texto magnífico

    Parabéns

    ResponderExcluir
  16. "Hoje decidi te esquecer, mas amanhã vou te ver. Ah, esquece esse texto todo. Deixa só eu olhar pra você, sem respirar, sem falar, sem me mover. Acho que esse é o relacionamento mais humano que eu já tive: Só eu sinto, só eu sofro, só eu acho que existe. "

    Adorei, Verônica! Me tocou de verdade!

    Beijo

    ResponderExcluir
  17. Eu passo por esse sentimento todos os dias. =/

    Espero que você consigao ou esquecÊ-lo, ou falar tudo que sente.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    ResponderExcluir
  19. perfeito o jeito que vc escreve *-*

    ResponderExcluir
  20. Ai adoreii e nao so o ultimo texto, li outros e são otimos tbm!

    e voltarei, bom fim de semana!
    beijos.

    ResponderExcluir
  21. Tão difernte da minha realidade, mas ainda assim me identifico com o texto,e ate me reconheci em duas parte:
    Ah, as coisas ficam tão mais fáceis desse jeito! Você não sabe, Menino, mas eu machuco as pessoas. Eu faço com que elas se apaixonem por mim como um desafio, como uma criança testando seus limites...
    já fui assim.

    E...
    Olha, Menino, o que eu procuro, é uma coisa estranha que muitas meninas passam pela vida sem conhecer ou sentir falta: compatibilidade. Eu procuro eu mesma nos outros, ou algo parecido. Você tem o que eu procuro e eu sei disso sem nunca termos conversado de verdade. Você gostaria de mim, se me desse espaço para mostrar. Eu sei disso.

    Boa sorte, espero que encontre, assim como eu encontrei!
    Parabéns

    ResponderExcluir
  22. "Eu tenho aflição de toque e sou incapaz de jurar amor sem pensar e ter certezas."

    Me encontreei nessa frase. Não sei até que ponto isso é bom ou ruim! Parabéns Verônica.
    E vida longa a esse seu dom bárbaro!

    ResponderExcluir
  23. você simplesmente falou por mim. Incrivelmente lindo e apaixonante!

    ResponderExcluir
  24. Adoro esse texto, leio sempre! me vejo mto nele também. :) beijo e parabéns!

    ResponderExcluir
  25. ... e Platão compreenderia.

    ResponderExcluir
  26. Sou sua fã!
    Texto maravilhoso!

    ResponderExcluir
  27. Acho que nunca li algo que descrevesse tão bem a alma dos geminianos, adorei!

    ResponderExcluir
  28. Eu acho q ela me conhece... hehe
    realmente mto lindoo!!

    ResponderExcluir
  29. Olha posso te dizer que tu não ta nessa sozinha,gemeos é vida*

    ResponderExcluir
  30. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  31. Eu como boa geminiana, a procura de mim nos outros e tentando explicar tudo que sinto sendo que no momento seguinte não quero nem saber a causa, venho aqui pra dizer que tu me descreve, me sinto em cada palavra tua. Arrumei uma nova distração.

    Tu escreve muito guria, parabéns pelo sentimento, pela boa escrita e pelas incertezas que te fazem escrever.

    ResponderExcluir
  32. André Rocha12 setembro, 2011

    Incrivelmente Humano!..
    "
    Mas hoje, Lindo, é a última vez que eu vou passar horas sofrendo por você. Acabei de decidir, olha só que coisa boa."..
    é isso q smepre tentamos(ou pelo menos eu tento) fazer...+ eh bem complicado chegar a esse ponto sem o sofrimento necessario!...
    continue assim...continue com esse relacionamento msm q ele soh exista pra vc!..eh bom se apaixonar com tds os bonus..e os onus...com td a felicidade e tda a dor..assim nós nos sentimos verdadeiramente vivos!

    ResponderExcluir
  33. Eu acho que um texto nunca se encaixou tão perfeitamente em mim.É bom encontrar pontos em comum com outras pessoas, mesmo que desconhecidas e distantes, faz com que eu me senta menos... Boba, eu acho, e me traz conforto. Obrigada pelo texto, de certa forma, me sinto melhor.

    ResponderExcluir
  34. tomei para min o início, e o fim, acho que essas desilusões vão nos deixando mais frias, mais realistas, mais prefiro assim, e quanto as paixões platônicas, já que somos só nós quem sabemos, cabe somente a nós esquecermos, até que chegue alguém que não nos permita ficar somente no platônico que nos exija mais, ai sim temos que dar a cara á tapa, e tentar não cair, nem se machucar.

    ResponderExcluir
  35. Ai, ai... Além de Verônica Heiss escrever o que penso, escreve o que vivo! rsrs

    ResponderExcluir
  36. Eu queria de dizer que não é possivel uma coisa dessas. É como se eu tivesse escrito esse texto. Como a outra disse ali "você sou eu" e é assim mesmo.. Vivi esse texto, acredita? Sem tirar nem por. Lindo, lindo. NUNCA PARE DE ESCREVER..

    ResponderExcluir
  37. E incrível como é de 2009 e vivi isso em 2011..

    ResponderExcluir
  38. Taynara stella18 janeiro, 2015

    "Me encontrei nos seus versos...sao unicos perfeitos p mim,e intensos era o que sentia e nao sabia como descrever e vc fez isso mesm saber;;;e me sinto bem;amei o seu texto cada palavra>>> por favor nao pare d escrever...........

    ResponderExcluir