julho 06, 2009

A falta de alguma coisa que eu não sei o que é

Eu sempre acho que amanhã será o dia de mudar de vez, de me assumir por completo. Mas daí o amanhã chega e tenho uma imensa preguiça de sair da minha área de conforto, porque é bem provável que ninguém entenda. E dá medo encarar o que é definitivo. E porque é mais fácil reclamar da vida do que torná-la leve de sobreviver.

Hoje eu sinto saudade e nem sei do quê. É uma angústia louca, um misto de vontade de chorar e sorriso leve. Eu não sei citar motivos, mas alguma coisa me falta. Estou ao mesmo tempo feliz e deprimida, tenho companhia e nunca fui tão sozinha, tenho sucesso e nuna me senti tão fracassada.

Eu crio mil planos pra mim e boicoto todos eles. A vida é tão cheia de ciclos e fases e eu me agarro doentiamente ao conhecido. Eu evito mudanças drásticas, sabendo que são meus impulsos mais interessantes e busco o conforto da mesmisse. É ridículo, não há surpresas.

Ninguém nunca espera que eu saia dos meus limites. Quem me conhece de verdade? E quem sabe dos momentos que eu estou a ponto de explodir? As saudades são grandes, o telefone mudo. Me identifico com livros e personagens e nem tenho uma história pra contar. E se eu contar, quem vai se importar?

Eu me importo, e muito. Quero marcar mais quem passa por mim, quero perder esse medo de não agradar, essa preocupação em ser o que todos esperam. Tentando não incomodar ninguém eu fico neutra. Invisível. E todas as minhas experiências de falta de preocupação já me indicaram que seria bem melhor me assumir. Eu não sou tímida. Sou calculista.

E essa falta... Na verdade eu sei, mas não queria saber... É falta de mim.

28 comentários:

  1. Nossa, Verônica!
    Lindo isso!
    "É falta de mim".
    Me encontro nos teus versos...

    Beijo

    ResponderExcluir
  2. "Ninguém nunca espera que eu saia dos meus limites. Quem me conhece de verdade? E quem sabe dos momentos que eu estou a ponto de explodir?"

    isso é muito eu.

    lindo demais, parabéns.

    ResponderExcluir
  3. O Caio F. tem um conto em que a personagem decide que no dia seguinte vai começar a fumar. Amanhã é mesmo o dia das grandes decisões, e é difícil se livrar da ilusão de um futuro. Mas se dá medo de encarar o que é definitivo, não deixe que a situação presente se torne definitiva. Tenha medo. Às vezes é o único impulso para escapar.

    (eu posso não saber de nada, mas acho que alguma coisa sempre falta. Sempre. E daí eu penso em Clarice que diz: temos de viver apesar de. E sigo.)

    Seu blog é lindo, viu?
    beijo.

    ResponderExcluir
  4. Lindo texto. Disse tudo que eu precisava dizer de um jeito muito mais genial e forte =)

    ResponderExcluir
  5. Uma vez Camille Claudel disse que havia sempre alguma coisa de ausente a atormentando. Porque sempre falta mesmo. A gente fica procurando nos outros, no mundo, mas é como tu disseste: é falta de si. E quando será que o amanhã finalmente será o dia de se assumir? A gente acostuma com a solidão e com o só-se-ser-completo-para-si. É confortável mesmo. É maluco. Um egoísmo mascarado pela busca de franqueza, por algo que nos faça sair pro amanhã.

    ResponderExcluir
  6. "Quero marcar mais quem passa por mim, quero perder esse medo de não agradar, essa preocupação em ser o que todos esperam"

    Suas palavras revelam sempre um pouco de mim.

    *Lindo!!!

    ResponderExcluir
  7. aaaaaah, você escreve muiiito *---------*
    parabéééns, vou te visitar aqui sempre :)

    ResponderExcluir
  8. maneiro parabens!!

    ResponderExcluir
  9. E essa falta...Na verdade eu sei, mas não queira saber..É falta de mim
    Nossa meu vc escreve muitooooo
    Parabéns =D

    ResponderExcluir
  10. Leio, releio e me questiono: "Como pode alguém escrever algo sobre mim sem nem me conhecer?". Geminiana como você, me encontrei nesse texto! Parabéns!

    ResponderExcluir
  11. É, meu ascendente em gêmeos te entende muito bem! É um vício de agradar a todos. A gente acaba sendo de tudo e sendo nada ao mesmo tempo.

    ResponderExcluir
  12. muito bom.

    me pergunto pq aceitar tanta dor, imagina uma vida sem identidade, sou musico e a pouco conheci thelema

    adeeeus

    ResponderExcluir
  13. como assim falta de mim? me identifiquei por completo nesse texto, mas não entendi o fim. por favor preciso dessa resposta!

    ResponderExcluir
  14. Me peguei hj pensando na minha vida, encontrei esse blog. Nele vc descreve muito bem oque sinto. Sinto um vazio enorme que me toma o tempo. tempo que n tenho, por causa do trab. Talvez eu esteja deprimida, por trab o dia todo sozinha em casa. Preciso voltar a ser eu.

    ResponderExcluir
  15. Sabe, o bárbaro e interessante é encontrar neste teu texto de já com seus 5 anos, a identificação que, nessa época já longínqua no passado, jamais presumi ter um dia. Teu ritmo decrescente de publicações também achei curioso. Lembra a mim. Talvez mais uma identificação.

    ResponderExcluir
  16. 2014. Lendo teu texto, me sinto idêntico. Ficou excelente.

    ResponderExcluir
  17. Ameiiii .Parabéns gostei muito.

    ResponderExcluir
  18. Muito obrigado pelas palavras. ....:)...lindas...

    ResponderExcluir
  19. Lendo o texto e super me identificando:
    "Hoje eu sinto saudade e nem sei do quê. É uma angústia louca, um misto de vontade de chorar e sorriso leve...
    Eu crio mil planos pra mim e boicoto todos eles. A vida é tão cheia de ciclos e fases e eu me agarro doentiamente ao conhecido...
    Me identifico com livros e personagens e nem tenho uma história pra contar. E se eu contar, quem vai se importar?..."

    ResponderExcluir
  20. Muito lindo!!! Sabias palavras!!!
    Me encontrei aqui!!!
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  21. Texto lindo, é exatamente assim que me sinto.

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  23. Nossa me encontro em suas palavras, é quase como se pudesse ver voçe em mim, o sentimento que senti em cada palavra é incrível.engraçado ler pois não sei se fico feliz com sua existência ou triste pela situação de qualquer forma eu agradeço. Obrigado

    ResponderExcluir
  24. Seria meu eu em você?
    Poxa! Vc me conhece de onde? Como sabe tudo?

    ResponderExcluir
  25. Seria meu eu em você?
    Poxa! Vc me conhece de onde? Como sabe tudo?

    ResponderExcluir
  26. nossa, e exatamente como eu sou, porem a vida me ensinou a ter tantas caras que nem lembro como e a minha; me ensinou a ser duro, que ao inves de chorar eu fico com raiva e magoas.

    ResponderExcluir
  27. Nossa , vc conseguiu expressar com palavras tudo que se passa dentro de mim.
    Vc é maravilhosa escrevendo Parabens espero que continue ...

    ResponderExcluir